País Saúde

Término do Projecto Viver Positivo em São Tomé e Príncipe

O projecto “Viver Positivo”, financiado pelo Instituto Camões e pela Embaixada de França (apenas para algumas acções no final do projecto), é o reflexo de vários anos de trabalho da ONG Médicos do Mundo (MdM) na área do combate ao VIH/SIDA. O projecto esteve em implementação desde Janeiro de 2011, visando essencialmente reforçar a rede de apoio psicossocial no país, capacitando técnicos de saúde e da área social para o efeito, e criando novos serviços de apoio para as pessoas que vivem com VIH (PVHS), nomeadamente Cuidados domiciliários, até à data inexistentes. Transversalmente, o projecto apostou numa forte componente de advocacia para a redução de estigma e discriminação que afectam seriamente a vida das PVHS, seus familiares e a sociedade em geral, no que diz respeito à prevenção da epidemia. O objectivo geral foi o de incrementar a qualidade de vida das pessoas que vivem com VIH/SIDA em São Tomé e Príncipe. Os objectivos específicos: 1) Aumentar a % de pessoas infectadas e afectadas pelo VIH/SIDA que recebem apoio psicossocial e atenção domiciliária; 2) Reduzir o estigma associado ao VIH/SIDA em STP. Após dois anos e meio de intervenção, o projecto chegou ao fim no final de Julho de 2013 e contou com os seguintes resultados que gostaríamos de destacar: – 1 Equipa de Cuidados domiciliários foi criada e capacitada. Esta equipa, formada por uma enfermeira e técnica social, irá dar continuidade à prestação destes serviços a PVHS, com a garantia pelo Programa Nacional de Luta contra a Sida (PNLS); – Foram criados 2 Grupos de Auto-ajuda para PVHS (1 em São Tomé e outro no Príncipe). O grupo de São Tomé tem funcionado em pleno e irá manter a sua dinamização com a colaboração da Associação Apoio à VIH/SIDA e do PNLS; – Foi realizado 1 Workshop para 15 PVHS em actividades geradores de rendimentos, focado em técnicas de produção de artesanato. O resultado final foi uma exposição das peças produzidas ao longo da formação no Centro Cultural Português, que foram todas vendidas, tendo os lucros revertido para a aquisição de novos materiais e utensílios oferecidos aos formandos, de forma a continuarem o novo ofício; – 1 Rede de referência ao nível nacional para o VIH/SIDA foi criada, constituída por 15 instituições ligadas à área da saúde e VIH no país; – Foram realizadas 183 acções de Informação e Educação para a mudança de comportamentos nos 6 distritos do país, centradas nas questões do estigma e discriminação. Nestas acções foram sensibilizadas mais de 13.277 pessoas. – Foram produzidos 2 folhetos de Advocacia: 1) sobre Estigma e Discriminação que afecta as PVHS, 2) Testagem e aconselhamento para o VIH/SIDA; 2 T-shirts e 1 Spot para a Televisão, também centrado na temática da Discriminação. – Foram realizados 62 Programas de Rádio, onde pelo menos 2 vezes por mês foram debatidas e esclarecidas várias questões relacionadas com o VIH/SIDA: prevenção, situação dos PVHS no país, discriminação, gravidez e VIH, entre outras. MdM gostaria de agradecer a todos os parceiros, beneficiários e à equipa que estiveram activamente envolvidos ao longo do projecto, agradecendo também ao PNLS, que assumiu a continuidade de algumas acções desenvolvidas, pela importância que têm para promoção do bem-estar e qualidade de vida das PVHS.

www.medicosdomundo.pt

Notícias que lhe podem interessar

PIC anuncia aumento da criminalidade em São Tomé e Príncipe

Brany Lisboa

Entidade reguladora da comunicação social de Portugal vai formar quadros são-tomenses

Brany Lisboa

São Tomé e Príncipe incentiva produção de cacau biológico

Brany Lisboa

Evaristo de Carvalho vence presidenciais em São Tomé e Príncipe

Brany Lisboa

Comentários

* Ao submeter os seus dados, concorda com os termos definidos na Política de Privacidade

Usamos "cookies" para melhorar a nossa oferta. Mais informações na nossa política de privacidade. OK Mais informações