País Sociedade

São Tomé e Príncipe quer erradicar a pobreza extrema

O arquipélago quer eliminar a pobreza extrema num prazo de 10 anos. Por isso, vai validar a nova estratégia de segurança social que, contempla apoios específicos a cerca de 11% da população que se encontra nesta condição. Para 2014 o governo já direcionou 20% do orçamento de estado para um apoio social de melhor qualidade.

20 mil cidadãos são-tomenses, cerca de 11% da população encontra-se a viver em condições extremas de pobreza.

Não têm acesso às áreas do emprego, assistência médica ou a apoios à terceira idade.

Portanto, o país não tem gasto o suficiente com a segurança e proteção social dos seus habitantes.

“Há que aumentar o esforço dedicado a proteção social e especialmente se São Tomé e Príncipe compromete-se em eliminar a extrema pobreza nos próximos 10 anos”, recomendações do consultor da UNICEF José Siveiro Marques.

As autoridades das ilhas assumem este objetivo, e preparam-se para aprovar a nova estratégia de segurança social que, entre outras coisas, contém os apoios em falta acima referidos.

Para 2014 o governo já inscreveu 20% do orçamento de estado para o melhoramento das políticas de segurança social. Por outro lado, já se começou a “estabelecer compromissos financeiros a curto e médio prazo por parte de todos os intervenientes”.

E outros intervenientes são a UNICEF, a União Europeia entre outros que, são os principais parceiros de desenvolvimento do arquipélago.

Brany Cunha Lisboa

 

 

 

 

 

Notícias que lhe podem interessar

STP vai estar pela 1ª vez no miss mundo

Brany Lisboa

Rio Malanza acolhe 3º campeonato nacional de canoagem

Brany Lisboa

Isabel dos Santos promete forte investimentos em STP

Brany Lisboa

Marca “made in São Tomé e Príncipe” em debate

Brany Lisboa

2 comentários

Comentários

* Ao submeter os seus dados, concorda com os termos definidos na Política de Privacidade

Usamos "cookies" para melhorar a nossa oferta. Mais informações na nossa política de privacidade. OK Mais informações