País Política

OGE e o GOP aprovados em STP

A maioria parlamentar são-tomense aprovou esta segunda-feira na generalidade, o OGE, Orçamento Geral do Estado e o GOP, Grandes Opções do Plano para o exercício de 2014. Apesar do voto contra da oposição e das chamadas de atenção por parte dos partidos que suportam o governo, os dois documentos seguem agora para a aprovação na especialidade.

Avaliados em 159 milhões de dólares o OGE e o GOP para 2014 que podem ainda vir a ser reforçados por uma linha de crédito de Angola orçada em 180 milhões de dólares foram esta segunda-feira aprovados no parlamento.

O ADI na oposição com 26 votos contra não conseguiu evitar que o poder parlamentar exercido pelo MLSTP/PSD, PCD e MDFM/PL com 29 votos a favor aprovasse os documentos na generalidade. No entanto, ouviu palavras de desconfiança e até mesmo críticas contra o governo de Gabriel Costa por parte dos próprios partidos que o sustentam.

“Será muito difícil suponho eu para o governo mobilizar os recursos que necessita para implementar este OGE”

“Infelizmente vivemos num país onde as pessoas mesmo tendo conhecimento das coisas nada fazem para as evitar, deixam que elas aconteçam para depois derramarem lágrimas de crocodilo”

“Mais do que metade das receitas fiscais que o governo vai arrecadar neste ano 2014 serão apenas para pagar salários, e a gente pergunta como é que se pretende resolver essa situação?”

Declarações e reações dos partidos que apoiam o governo que apesar de aprovar o OGE e o GOP, não esconderam o momento de crispação política vivido pela coligação.

Recorde-se que a tensão entre os partidos do poder, está a ser marcada pela necessidade de uma eventual remodelação governamental exigida pelo MLSTP/PSD, e agravada pela recente demissão do ministro da saúde Leonel Pontes envolvido num escândalo financeiro.

Brany Cunha Lisboa

Notícias que lhe podem interessar

São Tomé e Príncipe um paraíso ainda por descobrir

Brany Lisboa

Professores são-tomenses ameaçam entrar em greve

Brany Lisboa

CSDN delibera substituição chefe de estado maior

Brany Lisboa

Governo acusa ADI de incitamento à violência

Brany Lisboa

Comentários

* Ao submeter os seus dados, concorda com os termos definidos na Política de Privacidade

Usamos "cookies" para melhorar a nossa oferta. Mais informações na nossa política de privacidade. OK Mais informações