País Sociedade

Afinal os 6 pescadores desaparecidos deixaram ficar em casa os equipamentos de navegação, busca e salvamento

De acordo com a guarda costeira são-tomense os 6 pescadores que se encontram desaparecidos no mar  já há sete dias,  foram recentemente contemplados com um quite de navegação, busca e salvamento no quadro de um projeto de mudanças climáticas financiado pelo Banco Mundial, mas deixaram ficar em casa esses mesmos equipamentos antes de se fazerem à pesca.

Um facto que aumenta as dificuldades de localização dos seis homens pela a guarda costeira, que já assumiu que “uma busca em mar aberto sem prévia noção de onde poderiam estar os desaparecidos seria uma tarefa muito difícil”. Ainda para mais, o país não dispõe de meios aéreos que possibilitem fazer um reconhecimento das embarcações dentro dos limites da área marítima nacional.

GPS, bússolas, refletores para radar são alguns dos equipamentos que os pescadores deixaram ficar em casa e que poderiam ajudar a guarda costeira na sua localização. Agora a esperança mora no pedido de auxílio lançado pelo arquipélago aos países vizinhos no sentido de apoiarem as buscas.

Os 6 pescadores viviam na cidade de Neves no norte da ilha de São Tomé. Saíram para a pesca de “peixe Andala”  no último fim-de-semana, e de então para cá, não mais foram avistados.

Brany Cunha Lisboa com RTPÁfrica

Notícias que lhe podem interessar

Pirataria no Golfo da Guiné quebrou volume de tráfego marítimo para STP

Brany Lisboa

Rio Malanza acolhe 3º campeonato nacional de canoagem

Brany Lisboa

Diminui número de infectados com VIH/Sida em São Tomé e Príncipe

Brany Lisboa

São-tomenses festejam o Santo Isidoro

Brany Lisboa

Comentários

* Ao submeter os seus dados, concorda com os termos definidos na Política de Privacidade

Usamos "cookies" para melhorar a nossa oferta. Mais informações na nossa política de privacidade. OK Mais informações