País Política Sociedade

Governo pede demissão de Justino lima do cargo de chefe de estado maior

O governo de Patrice Trovoada considera que é a decisão mais coerente, tendo em conta os resultados do inquérito ao caso “Nagi” mandado instaurar pelo ministro da defesa e do mar Carlos Stock que, ditou que o chefe de estado maior, o brigadeiro Justino Lima,  não só participou ativamente no espancamento do dito”ladrão”, como foi quem ordenou o massacre militar. Por tudo isto, no conselho superior de defesa nacional a ser realizado esta segunda-feira, o executivo vai pedir a exoneração de Justino lima do cargo de chefe de estado maior das forças armadas.

O caso “Nagi” terá acontecido em setembro de 2014, tendo o jovem tido como um delinquente perigoso, sido brutalmente agredido pelos militares entre eles o próprio brigadeiro Justino Lima. As imagens foram denunciadas via redes sociais e abriu uma ampla discussão sobre os direitos humanos no país independentemente do cadastro do agredido e também sobre o papel de exemplo e garante da paz que deve expressar os militares.

O conselho superior de defesa nacional marcado pelo chefe de estado e comandante supremo das forças armadas Manuel Pinto da Costa, deve então por os pontos no is e clarificar o destino de Justino Lima quase um ano depois de ter assumido o cargo de chefe de estado maior das forças armadas.

Brany Cunha Lisboa

Notícias que lhe podem interessar

Governo e empresa da China Popular fazem renascer o sonho do Porto em Fernão Dias

Brany Lisboa

Documentário Cacau

Brany Lisboa

ADI vai participar ativamente na manifestação dos Indignados

Brany Lisboa

Morre ex-ditador argentino Jorge Videla aos 87 anos

Brany Lisboa

7 comentários

Comentários

* Ao submeter os seus dados, concorda com os termos definidos na Política de Privacidade

Usamos "cookies" para melhorar a nossa oferta. Mais informações na nossa política de privacidade. OK Mais informações