Cultura Notícias

Calema anuncia colaborações iminentes com outros cantores e músicos são-tomenses

A dupla de sucesso que nasceu no sul da ilha de São Tomé garante que, está na forja projetos, com vista a apoiar a música feita no arquipélago. Um deles, passa mesmo por colaborações com outros cantores e músicos de São Tomé e Príncipe. Em entrevista exclusiva ao RepórterSTP, os Calema fazem um balanço positivo do lançamento e promoção do álbum Yellow e garantem que a única receita para o sucesso é o trabalho.

Numa altura em que já se encontra na boca do povo o novo single do grupo “Nosso Amor“, os Calema fazem contas positivas ao lançamento do Yellow, apesar do impacto forte que o Covid -19 teve na divulgação do álbum. Em entrevista exclusiva ao RepórterSTP, a dupla dos Angolares garante que, “mais de 70% dos objetivos preconizados com o lançamento do Yellow já foram atingidos”.

“Nosso amor”, colaboração com Soraia Ramos

“O balanço tem sido muito positivo. Sem dúvidas que nós gostaríamos que a promoção e o impacto fossem mais fortes, mas na internet e nas redes sociais tem sido um sucesso enorme, tanto é que, o álbum inteiro em termos de visualizações dos vídeos no Youtube, já tem por volta de 40 milhões de visualizações, sendo que só a música [Te amo] já conta com mais de 20 milhões de visualizações”, explica a dupla aos microfones do RepórterSTP.

O Covid e o necessário confinamento vieram baralhar as contas e o programa inicialmente definido pelo duo. Prova disto são todos os shows e tours de promoção do álbum que tiveram de ser remarcados.”O impacto da pandemia foi mesmo muito forte para o lado negativo. Tudo que tem que ver com shows remarcamos. Mais de 70 shows, uma tour Europa, uma tour África, enfim, uma tour também em Portugal, inclusive íamos também passar por São Tomé e Príncipe e pelos Estados Unidos, tivemos que remarcar tudo. É complicado estar um ano sem fazer shows, por mais organização que uma pessoa tenha, chega uma altura que tem que se adaptar ao novo panorama”, enfatiza os Calema.

No entanto, também foi possível retirar “coisas boas”, deste momento menos bom, para a humanidade.

“Nós descobrimos imensas coisas neste período, em casa aproveitarmos o tempo com os filhos e familiares, pelo menos é uma das partes positivas desta nova fase que todos vivemos, que é estar com aqueles que a gente ama e acreditamos que vamos sair desta fase como pessoas melhores”, explica o duo.

Calema em palco

Os calema acreditam mesmo, que também por causa da pandemia as músicas do álbum Yellow, sem estar nada planejado neste sentido, vêm fazendo ainda mais “diferença” na vida das pessoas.

“Falamos principalmente da música [Abraços]. Gravamos e lançamos ainda em finais de 2019, mas apartir do mês de Março a música começou a fazer ainda mais sentido, porque aquele abraço que nós dávamos todos os dias, aquele aperto de mãos, beijinhos, enfim, já não era possível devido ao distanciamento social. Achamos que quando se trabalha com sinceridade e com o coração as coisas encaixam-se”, garante a dupla.

O grupo Calema está na moda, as músicas na boca do mundo, a consagração e o reconhecimento é internacional. Garante que o objetivo fundamental é “levar as suas mensagens o mais longe possível, inspirar e quiçá melhorar a vida das pessoas, através da sua própria história de superação”. Para isto, justifica “não haver nenhuma fórmula a não ser muito trabalho”.

A propósito, a dupla quer ajudar a desenvolver a música feita em São Tomé e Príncipe, por isto, já tem em carteira “projetos” neste sentido. Tudo que se sabe para já, é que ” haverá lugar para colaborações com outros cantores e músicos do arquipélago em breve”.

“Nós durante muito tempo, um dos nossos objetivos foi trabalhar bastante para aprender-mos e ganhar-mos uma base importante para depois começar-mos a abrir portas e puxar para cima outros artistas. Já temos projetos muito interessantes ainda para este ano, pelo menos para gravar este ano e lançar no próximo, com são-tomenses. Temos vários projetos para as ilhas e que de certeza colocarão São Tomé e Príncipe, as músicas e a cultura em si, mais presentes no mapa”, anunciam em excusivo ao RepórterSTP.

Calema que na língua angolar quer dizer “ondas fortes”, continua a espalhar pelo mundo uma grande “onda de alegria com as suas músicas e mensagens implícitas. Carregam com eles as cores e o orgulho do “ser são-tomense”, numa clara alusão a cultura e ao trabalho, que no final de contas é a fórmula para o sucesso.

Fotos retiradas do Facebook Calema e da Google

Brany Cunha Lisboa

Notícias que lhe podem interessar

CHANEL

Brany Lisboa

Calema quer a consagração

Brany Lisboa

“Sucesso” é como a organização descreve a primeira conferência TEDX em São Tomé e Príncipe

Brany Lisboa

Pastelin

Brany Lisboa

Comentários

* Ao submeter os seus dados, concorda com os termos definidos na Política de Privacidade

Usamos "cookies" para melhorar a nossa oferta. Mais informações na nossa política de privacidade. OK Mais informações